Cana-de-açúcar deve injetar R$ 300 milhões na economia de Campos até outubro

Cana-de-açúcar deve injetar R$ 300 milhões na economia de Campos até outubro

Moagem deste ano deve crescer 10% se comparada acde 2023

A Cooperativa Agroindustrial de Campos (Coagro) deu início, na sexta-feira (28), à safra sucroalcooleira no município. A previsão é que até outubro, final do período de moagem, sejam injetados na economia da cidade em torno de R$ 300 milhões. Só a Coagro vai gerar, segundo a direção, 3 mil postos de trabalho.

“O açúcar está remunerando melhor e, por isso, a gente pode remunerar melhor o nosso produtor. A expectativa é de produzir 1,3 milhão de sacos e algo em torno de 30 milhões de litros de etanol, que vão ser comercializados principalmente no estado do Rio” diz o presidente da Coagro e vice-prefeito de Campos, Frederico Paes.

De acordo com ele, a safra 2024 deverá ser mais açucareira. Para este ano a moagem tem previsão de superar a de 2023 em cerca de 10% a mais de cana-de-açúcar, chegando próximo de 1 milhão de toneladas.

A cerimônia de início da moagem, além de uma missa, teve a participação do prefeito de Campos, Wladimir Garotinho.

“Campos sempre teve vocação para a cana-de-açúcar. Chegamos a ter mais de 20 usinas, hoje existem apenas três em todo o estado do Rio, e temos o privilégio de duas estarem no município de Campos. Essas usinas geram renda e fazem movimentação financeira na cidade. Só a Coagro gera 3 mil empregos, temos a outra indústria, que gera cerca de 2 mil empregos. São duas usinas muito importantes para a nossa cidade. São muitas pessoas empregadas, muito dinheiro circulando, muita riqueza sendo gerada no município através da cana-de-açúcar” comentou o prefeito.